Feeds:
Posts
Comentários

Posts Tagged ‘ciência’

Por muitos e muitos anos conservamos a medíocre idéia de que nós, seres humanos, eramos os únicos racionais no planeta. Os únicos capazes de construir, resolver problemas e elaborar pensamentos sofisticados. Mas, para nossa sorte, existem pessoas inteligentes trabalhando para mostrar ao mundo que, mais uma vez, estavamos errados.

Brian Ford, um biólogo britânico, apresentou através de um estudo em 2008 que as céluas emitem sons e comunicam-se umas com as outras. E não para por aí. Segundo ele, uma única célula é capaz de pensar e agir com um objetivo. Organismos unicelulares como as amebas, por exemplo, são capazes de construir uma “casa”, juntanto grãos de areia para formar uma proteção.

Agora, o detalhe mais importante nisso é que as células pensam! Assim como diz o próprio Brian, o ato de pensar não é algo exclusivo dos organismos mais evoluídos (se é que realmente entendemos o que é evolução). Se células sozinhas podem pensar, falar, interagir e construir uma casa, o que impediria um grande número de células de manterem-se unidas e, para sobreviver, construir uma enorme casa? Se levarmos a sério a descoberta do biólogo, nada.

amebas

Então pense comigo. Os organismos unicelulares, que habitam nosso planeta há milhões de anos, tem pensado e se aprimorado durante todo esse tempo. Ao se unirem, perceberam que ganhavam mais proteção e alimento. Podiam também, através da comunicação, informar aos amigos próximos sobre uma necessidade ou perigo, permitindo que outras células do grupo soubessem o que fazer.

Com o passar do tempo o grupo vai ficando maior. A “casa” é maior. Mas o fato desta casa não ser mais feita simplesmente de grãos de areia e sim de material orgânico, permite que ela se mova. O sistema funciona perfeitamente: a casa anda, procura comida, evita ameaças… uma obra-prima de engenharia. Desenvolve-se de tal maneira que, quem olha de fora, pensa que aquilo tudo é uma coisa só. E como cada grupo cresceu sob ambientes e funções específicas, existem aqueles que se parecem (casas semelhantes) e os que são bem diferentes.

Um destes grupos teve bastante sucesso. A casa deles parece ter associado características das melhores existentes. Centros orgânicos para captação e processamento da luz, revestimento sensível a variações de temperatura e pressão, um sistema interno para tranformar matéria em energia (comida para as células)… Descobriram até um jeito de fazer o som gerado por eles ser emitido pelo ar de maneira a uzá-lo para se comunicarem com outras casas próximas.

robot

Devido a complexidade e o número de tarefas que esta casa pode realizar, acho que agora deveriamos compará-la a um robô, e não mais a uma casa. Afinal, ela já faz bem mais que apenas fornecer um ambiente agradável de moradia. E assim, as células, como os Power Rangers do seriado japonês, controlam seu robô gigante pela Terra. Mas ao contrário do veículo da série, guiado de forma absurdamente hábil por apenas cinco pilotos, o robô das células exige um número infinitamente maior de tripulantes e um sincronismo espantoso (quase chinês).

rangersPara que tudo funcione corretamente, cada célula precisa estar totalmente concentrada em sua função, passando adiante a informação necessária a célula seguinte, de maneira que esta informação seja levada por todo o organismo como uma onda rumo a praia. Esta constante onda de vozes celulares informando sobre necessidades, situações e alternativas ecoa pelo corpo unido como uma consciência coletiva. Assim, o robô parece ter vontade própria. Pensamentos próprios que nada mais são que as vozes reunidas de todas as células conversando sobre como guiar-se pela vida.

Parece bagunça? Mas não é… A união celular funciona porque não há uma célula sequer preocupada com o quanto irá ganhar no fim do mês. Trabalham com um objetivo comum e todas ganham com isso. Todos os problemas são reportados e todas as boas soluções são memorizadas. O sistema funciona e funciona BEM! Contudo, se somos comandados pelas células, por que nos matamos, roubamos e agimos de forma tão mesquinha uns com os outros? Será que existe algo além de células e sua consciência coletiva em nosso corpo? Ou as próprias células teriam sucumbido à tal consciência, acreditando serem não mais um grupo, mas sim uma nova e única forma de vida, passando a ter novas ambições, comportamento e valores condizentes com a sociedade moderna?

Acho que isso dá um ótimo assunto para tópicos futuros. Por enquanto você já tem material suficiente aqui para pensar durante uma semana. Somos mesmo criaturas curiosas. E as novas descobertas da ciência não trazem necessariamente respostas. Apesar disso, as dúvidas geradas possuem um sabor exótico. O sabor de trabalhar a mente e a imaginação no estudo contemplativo desse enorme e crescente universo de “porquês” e “comos”. Talvez a gente descubra algo mais amanhã. Até lá, continue questionando!

Anúncios

Read Full Post »