Feeds:
Posts
Comentários

Posts Tagged ‘comportamento’

Não sei se já comentei antes, mas acredito que estas são duas das grandes palavras do momento: Interação e Personalização. Porque? É isso que vou tentar mostrar a vocês agora.

Não é novidade. Nós sabemos que a internet e a tecnologia de um modo geral cresceram e se popularizaram ao ponto de se mesclarem ao nosso dia a dia de forma que as julgamos cada vez mais necessárias. Hoje temos redes sociais como o Twitter, Facebook, Orkut e Myspace onde pessoas procuram por amizades, relacionamentos, informação e visibilidade. A forma como essas redes facilitaram a interação com outras pessoas, independente de lugar, hora ou de roupas apropriadas fez com que multidões se reunissem para se encontrarem por meio destes espaços. Alimentadas pelo instinto natural de viver em comunidade e a necessidade de estarem perto uns dos outros, essas redes crescem sem parar.

Fora isso, e quase em contra-senso, existe a idéia antiga de individualidade encravada há anos na sociedade e que hoje se atualiza em perfis personalizados onde contamos e mostramos muito (se não tudo) do que somos. Achamos importante que saibam quem somos e possam nos diferenciar das outras pessoas. Para tanto, fotos, mensagens, idéias pessoais, vídeos e músicas desenham personalidades virtuais que, muitas vezes, nem correspondem ao que vemos na realidade. Além do mais, a oportunidade de ser quem você gostaria de ser e não exatamente o que é, soa bastante sedutora principalmente para aqueles que precisam de uma válvula de escape diante das insatisfações da vida. Portanto, seja para mudar-se ou orgulhar-se de sí mesmo, a personalização desempenha papel fundamental e mostra-se profundamente atraente.

Interação para nos fazer ter acesso ao mundo inteiro. Personalização para nos permitir moldar este mundo (e tudo nele) como bem entendemos. Parece ficção? Mas não é… Olhem ao redor. Hoje os jogos mais populares são aqueles em que é possível jogar com outras pessoas através da internet, onde é oferecida a possibilidade de interagir sem precisar sair de casa. Montadoras de veículos oferecem várias opções de personalização em muitos de seus modelos, como é o caso do Novo Uno onde se permite ao cliente escolher entre uma infinidade de detalhes que tornam a aparência do carro quase única. Tudo isso para que você possa se diferenciar dos demais. Além destes, existe um grande número de exemplos que podem ser facilmente encontrados na internet, bastando para isso uma rápida pesquisa:

Fiat Mio:
Projeto da Fiat que visa desenvolver um automóvel a partir das idéias das pessoas que comprarão o carro. Um grande exemplo de interação através da colaboração em prol de uma idéia para o desenvolvimento de um produto sob medida.

The Sims 3:
Um jogo de computador onde um dos aspectos mais atraentes é a possibilidade de criar personagens limitados apenas pela sua imaginação. A personalização vai desde cada detalhe da aparência até o mais íntimo do comportamento individual.

Twitter:
Rede social que permite a exposição de idéias de forma rápida e eficiente. Uma vez que sua rede de amigos está formada, é possível fazer-se notar por uma grande quantidade de pessoas e, a partir da influência alcançada, destacar-se pela individualidade.

Por ser um assunto bastante abrangente, as circunstâncias filosóficas ou psicológicas que fomentam este tipo de comportamento são pontos que exigem a avaliação cautelosa de pessoas realmente dispostas. Mas para aqueles que encontram com frequência idéias como estas no trabalho, perceber a tendência sólida do interagir e personalizar é fundamental na compreensão do mundo. Tanto o real quanto o virtual. Através disto é possível direcionar ações que se sustentem nestes aspectos e desfrutar construtivamente deste momento em que se encontra nossa sociedade.

Anúncios

Read Full Post »

Aproveitando o intervalo entre um round e outro da luta do século, vamos tirar um momento para uma reflexão avulsa.

Lembram de “A História Sem Fim”? É, aquele filme do cachorro branco que voa. Quanto mais leio os jornais e olho o mundo ao redor, mais acho que estamos muito próximos do dia em que o Nada (lembram do lobo gigante bizarro do mau?) nos devorará.

nada

Assim como no filme, as pessoas aqui do mundo real (se é que podemos chama-lo assim) tem se esquecido de seus sonhos, de suas esperanças, do próximo, de sua responsabilidade para com o mundo que as abriga… do amor. Todos já sabemos o quanto guerras e ódio são coisas ruins e nocivas e, por terem nome de impacto, costumam chamar mais atenção; então, vamos parar um momentinho para reparar em algo bem menor, mas nem por isso menos importante:  o cuidado.

Por cuidado, me refiro à atenção que você dá ao mundo e às pessoas à sua volta nos pequenos detalhes (afinal, de grão em grão… a galinha faz a guerra). Eu realmente fico intrigada ao ouvir pessoas dizerem que amam seus amigos e, no segundo seguinte, vê-las jogar uma garrafa plástica vazia no meio da rua (e olha que geralmente há uma lixeira a 3 passos de distância). Será que não percebem que estão sujando a casa de seu tão amado amigo? Que lógica há em afirmar para Deus e o mundo que ama as pessoas, que ama a terra em que vive, se suas atitudes mais primárias revelam justamente o contrário? Seria isso hipocrisia inconsciente? Talvez.

plantaJogar lixo nas ruas (sim, mesmo aquele papelzinho de bala é lixo!), xingar o motorista do ônibus por ele parar em todas as paradas quando você está com pressa (queria ver se você estivesse esperando por horas e ele queimasse parada!), chutar o gato, jogar veneno na casa do vizinho pra ver se mata aquele cachorro que late por horas ininterruptas, desrespeitar os mais velhos, incentivar uma criança a dançar sensualmente só porque a música é top nas paradas da rádio… Depois o povo, chocado, vem reclamar de exploração sexual infantil????!!!! Isso não faz sentido algum!!!! Que tipo de futuro as pessoas esperam que saia disso tudo afinal? Se o mundo está caótico, se estamos cercados por violência, se nossos políticos nadam em corrupção, se os filhos não respeitam mais os pais, é porque estamos colhendo exatamente o que plantamos!

Eu daria gargalhadas se o assunto não fosse tão trágico. Para um alienígena que parasse para nos assistir, a cena certamente seria patética. Espalhamos minas em nosso quintal, despreocupadamente, sem nem ao menos lembrar que serão nossos próprios filhos que irão brincar nele mais tarde. Quão cegos podemos ser?

Um dia acordaremos e notaremos as pessoas correndo desesperadas . Algo denso e sinistro terá chegado. O Nada terá nos alcançado por culpa de nosso próprio desleixo. A nosso convite, ele devorará famílias, crianças, mundo… Tudo sob o peso de anos, findando em um irrevogável e fatal segundo.

Ser ou não ser, eis a questão: será mais nobre em nosso espírito sofrer pedras e setas com que a Fortuna, enfurecida, nos alveja, ou insurgir-nos contra um mar de provações e em luta pôr-lhes fim? Morrer… dormir: não mais.

Trecho do famoso monólogo de Hamlet, ato III, cena I, da obra homônima, de William Shakespeare.

Read Full Post »

Sejam bem vindos mais uma vez, senhoras e senhores (e espero que vocês não sejam “amigos da Rede Globo”). No post anterior presenciamos o início do grande confronto entre Ken Kermudah e Kenão Kermudah. Estes dois competidores estão aqui para mostrar a vocês qual será o possível futuro da humanidade. Vencerão aqueles que lutam por um mundo melhor? Ou o triunfo agraciará os que não desejam qualquer mudança?

Tomem seus lugares porque acaba de começar o SEGUNDO ROUND da maior disputa de todos os tempos! O pobre coelho já foi removido do ringue. Os médicos disseram que, com o implante de alguns membros robóticos, ele ficará bem. Será o primeiro coelho ciborgue da história… mas a ciência deve estar orgulhosa disso.

E as coisas já não começam bem para nenhum dos dois. A nuvem de fumaça liberada pelo escapamento da ambulância sufocou tanto Ken Kermudah como Kenão Kermudah. É isso aí. Monóxido de carbono não faz bem ao pulmão de ninguém. Será que agora eles começarão a se dar conta de que, enquanto continuarem brigando, os dois estarão perdendo? Está parecendo que não.

luta5

Mas olhem lá! O promissor estudante está mostrando uma ótima solução para o problema. Um gerador de energia eólica? Sim, é isso mesmo! A eco energia é capaz de fornecer até dez vezes mais energia que as formas poluidoras usadas atualmente. Um carro movido a luz solar, um navio que navega velozmente utilizando apenas as forças do vento e da água já são realidade. É pena que Kenão Kermudah pareça fechar os olhos para isso. Será que este é o motivo dele usar aqueles óculos escuros? Fingir que não vê? Seja como for, isso certamente o acertou em cheio. Pelo menos o ar está mais puro agora.

luta6

Este é um momento importante, pessoal! Ken Kermudah começa o segundo round mostrando uma força inesperada. Atraiu a atenção de mais algumas pessoas ao levantar uma placa de protesto. A moral dele sobe e a torcida vai junto! Está ganhando terreno. Como será que seu oponente vai lidar com isso? Quando uma multidão furiosa vem para cima de você, não há muito o que fazer. Ainda mais quando você é apenas um.

luta7

Uau! Que incrível! Eu até imaginei que ele fosse reagir assim. Mas não esperava tamanho poder. Kenão Kermudah usou a lei como escudo! Escondido atrás dela, ele será invencível. Será que esta batalha está perdida para Ken Kermudah? A menos que ele encontre uma brecha para atingir seu adversário, ele está fadado à derrota. Ken Kermudah parece confuso. A lei é aparentemente impenetrável. Como ele reverterá esta situação? Ken Kermudah não pode desistir agora. Estar acompanhado e protestar com placas foi uma boa, mas funcionou apenas por alguns minutos.

luta8

Que luta EMOCIONANTE! Kenão Kermudah está retomando o espaço. A lei que antes o protegia, agora serve como arma! Ele a joga contra os manifestantes e Ken Kermudah se machuca seriamente. A técnica da lei é muito poderosa. Apesar de ambos a terem em seu arsenal, está claro que Kenão Kermudah possui um conhecimento muito mais aprofundado e sabe manejá-la de forma primorosa. Temos de reconhecer seu talento aqui. Ken Kermudah sofreu com essa. Como ele revidará?

luta9

Ken Kermudah se levantou! Caramba, de onde ele tira tanta força? Nossos analistas estão dizendo que o ataque da lei foi parcialmente absorvido. Como esta é uma técnica que não deve ser usada para agressão direta, ao fazê-lo, o atacante acaba favorecendo a vítima, pois a lei garante a liberdade de expressão. A energia absorvida foi pouca, mas o suficiente para mantê-lo de pé.

O que está acontecendo? Ken Kermudah parece calmo. Continua parado de pé com uma expressão de serenidade no rosto. O que será? Desistiu? Não, vejam! Uma luz misteriosa está surgindo dos céus. É quente e forte. O que?! AAAHH!! Uma gigantesca coluna de luz acerta Kenão Kermudah em cheio! Ken Kermudah parou de agir por alguns segundos e um enorme buraco surgiu na camada de ozônio! A luz escaldante do Sol entrou com velocidade e acertou diretamente Kenão Kermudah! Que poder impressionante!

luta10

Vocês leitores estão duvidando? Não façam isso. O poder não veio exatamente dele. Ken Kermudah possui uma consciência tão bem trabalhada que entende o movimento do universo e sabem que tudo está conectado. Ele apenas usou este conhecimento a seu favor. Ken Kermudah tem um poder incrível. Será que ele tem noção disso?

O sino tocou. Este é o fim do segundo round, senhoras e senhores! Os médicos estão no ringue tentando apagar o fogo. Esperamos que o homem de terno não tenha sido cremado. Enquanto isso, vão dar uma volta. Mas não demorem, porque o terceiro round promete! Só precisamos saber se ele sobreviveu…

Read Full Post »

Sabem, de vez em quando, em momentos não tão raros, me pego questionando sobre o futuro do nosso mundo e das pessoas. Olho ao redor, leio os jornais, vejo a TV e confesso que fico bem mais inclinado a acreditar que estamos fadados à um fim terrível que pensar sobre o triunfo dos esperançosos que lutam por mudanças.

Contudo, existe algo mais que me intriga. Se eu mesmo vejo desta forma e temo pela destruição total, porque ainda luto por um mundo melhor? A resposta pode parecer até meio espiritual, mas é por causa dela que, apesar de sermos minoria, somos capazes de manter o jogo equilibrado: nós ainda acreditamos!

Pois bem. Este é o cenário do mundo atual. Temos dois times competindo aqui: os que querem mudar e os que não querem mudar. A luta é acirrada e o vencedor pode vir de qualquer um dos lados! Por isso, pensando no futuro, o Nonsense Café resolveu trazer até vocês a simulação virtual da LUTA DO SÉCULO! Escolhemos um participante de cada lado para lutar representando seus iteresses e mostrar através deste confronto os motivos, ações, habilidades e fraquezas que fazem desta a escolha mais importante de todos os tempos: de que lado você está?

caraE vamos a apresentação dos lutadores! Do lado esquerdo, pesando menos que um barril de petróleo, vindo de uma cidade qualquer num país de terceiro mundo, temos Ken Kermudah! (pausa para os gritos da torcida: aaaaeeeeewwweeee!!!!!!!) Usando uma jaqueta verde descolada, ele é um jovem e promissor estudante de mente aberta e acha que o livro “O Senhor Dos Anéis” é melhor que o filme.

cara2Do lado direito, pesando aproximadamente um milhão de barris de petróleo, vindo de uma certamente conhecida cidade do país que se acha o mais primeiro mundo dentre os primeiros mundos, temos Kenão Kermudah! (novos gritos: yyeeeheee aaaahhhhhh!!!!!!!) Usando um terno caro e óculos estilosos, ele é um não tão jovem presidente de uma grande multinacional e acha que o filme “O Senhor Dos Anéis” é mil vezes melhor que o livro. Mas, defende a venda dos dois, bem como dos bonequinhos do Aragorn.

Sim! Como vocês já imaginavam, eles são irmãos. Ironia do destino? Plano divino? Não sabemos. Só esperamos que eles não se matem. Odiaríamos ter de censurar as coisas por aqui. Façam suas apostas! Quem irá beijar a lona? Finalmente começa o PRIMEIRO ROUND desta importante disputa!

ding

Sem perder um segundo, Kenão Kermudah trata de se vestir bem, fazer a barba e exalar um incrível ar de requinte! Ele sabe que uma boa imagem irá lhe conferir credibilidade e respeito. Os espectadores irão notar o quanto ele está elegante e sentirão uma súbita vontade de se parecerem com ele. Então procurarão um shopping que venda as mesmas roupas, sapatos e cortarão o cabelo no mesmo estilo. Esse foi um golpe fraco. Ele deve estar apenas se aquecendo.

Mas esperem! O que está havendo aqui? Parece que Ken Kermudah começou a mostrar serviço também. Ele atraiu a atenção de uma garota simplesmente SENDO QUEM ELE É! Incrível, senhoras e senhores! A sinceridade e humildade de Ken Kermudah parece dar a ele uma credibilidade compatível com a de seu adversário. Ele não está nem um pouco atrás no que diz respeito a carisma, mesmo usando aquelas roupas mais comuns. Será que seu oponente se feriu com isso? Não está parecendo.

luta1

Vejam! Um carro! Kenão Kermudah está mostrando seu belo carro italiano para a garota no ringue. Ele sabe que o mundo moderno está sempre em movimento e é preciso ter um carro para andar por aí. Um poderoso e barulhento motor esportivo, o cheiro de fumaça, a imagem de quem dirige… Todas essas coisas são consideradas indispensáveis para Kenão Kermudah. Com estas alegações, parece que todos irão querer carros barulhentos, velozes e vermelhos agora. A garota não perdeu tempo! Certamente um golpe duro no jovem estudante.

luta2

Ken Kermudah parece ter aguentado muito bem. O que ele está fazendo? Alimentando um coelhinho? Alimentou um coelho e está caminhando como se não tivesse pressa de chegar a lugar nenhum. Ele mostra com isso que o corre-corre louco do mundo moderno não é real. O imediatismo é algo criado por nós mesmos e, quanto mais você corre para tentar alcançar o mundo, mais o mundo corre para longe de você. Ken Kermudah parece caminhar tranquilamente porque sabe que cada passo é um momento que tem um sabor único e deve ser aproveitado como tal. Ele deve estar certo, porque a garota está novamente na dele! Essa deve ter abalado seu adversário.

luta3

Aahh, Não! Kenão Kermudah ESMAGOU O COELHO COM SEU CARRO! Que brutalidade! Ele parece não estar nem aí para os animais ou qualquer ser vivo além dele mesmo. Bem, ter um carro realmente lhe deu uma certa vantagem. Afinal, agora ele está armado! Mas Ken Kermudah está preocupado com o próximo e chamou uma ambulância. Vejam só como Kenão Kermudah rí por ver seu oponente precisar de um carro para levar a vítima ao hospital o mais rápido possível. Ken Kermudah deve estar achando os carros bem importantes agora. Olhem quanta energia ele perdeu neste último golpe. Essa doeu!

luta4

Eis o fim do primeiro round, senhoras e senhores. Faremos uma pequena pausa para que possam remover o coelho do ringue. Mas ainda vem MUITA luta por aí! Quem será o vitorioso neste disputadíssimo confronto entre Ken Kermudah e Kenão Kermudah? Vão tomar uma água e pegar um pouco de vida, porque o próximo round começará em breve! Até já. 😀

Read Full Post »

Não é novidade o fato de que estamos, todos, de uma maneira infinitesimal, interligados. Se formos buscar estudar o ser humano e a natureza que o circunda, em um nível molecular, perceberemos a constante troca e interação de energias. No entanto, poucos sentem-se realmente conectados; poucos notam a ligação que nos une (sim, todos nós juntinhos) em uma nebulosa rede de possibilidades existenciais.

Mas consideremos isto por um minuto. Essa ligação. Seria tão irreal crêr nela? Seria tão estranho pensar que o relâmpago que corta os céus compartilha, de algum modo, da mesma energia que corre em nosso corpo?

Segundo a física quântica, podemos dividir o átomo em prótons, nêutrons e elétrons; depois disso, podemos ainda dividir esses prótons e nêutrons em quarks. De divisão em divisão de coisas minúsculas, chegamos cada vez mais perto de algo ainda mais minúsculo e fundamental que forma todos os tipos de particulas do universo. Ou seja, todos nós, frágeis seres humanos e a natureza que nos envolve, sob uma escalafobética lente de microscópio, somos compostos de uma mesma força fundamental. Como é essa força e de onde ela vem é algo que os cientistas ainda quebram a cabeça para desvendar, mas muitos já chegaram a conclusão de que, se continuarmos procurando, vamos chegar a um ponto em que veremos que, no interior de tudo, o que há é energia (uma energia vibrante, formadora de particulas).

planets

Não vou aqui me aprofundar nas teorias, mas o ponto principal dessa nossa conversa é: estamos conectados. Seja uns com os outros, os outros com os uns e esses uns com a natureza, entre nós há constante e ativa interação energética. A energia que nos forma se movimenta constantemente. Assim sendo, a questão do Pacman no post mais abaixo torna-se ainda mais assustadora, não acha? Destruímos, sugamos, comemos… a nós mesmos. Corrompemos um mundo que está diretamente conectado ao nosso próprio corpo e massacramos seres que estão, inevitavelmente, ligados a nós mesmos. Brincamos de mutilar e sacudir toda essa energia de um modo negativo e corrosivo, o que nos leva cada vez mais para perto da fome, da miséria, do desespero, da destruição do mundo.

Amar o planeta em que se vive, amar ao próximo, ser cuidadoso… Essas coisas as vezes são vistas como algo cafona. As medidas preventivas de cuidado com o planeta são vistas como uma reação exagerada. O engraçado é que, quando trata-se do amor-próprio, todos levam o assunto muito a sério. Enquanto for tão difícil assim para as pessoas repararem que amar a si mesmo seria justamente cuidar e preservar o ambiente em que vivemos e as pessoas que nos rodeiam… então eu acho que a Terra continuará sua saltitante caminhada rumo à obliteração.

Read Full Post »

Muitos animais têm o costume de se moverem em grupos. Já observou as formigas caminhando em sua parede? Elas seguem todas em fila, uma atrás da outra, por um mesmo caminho, rumo a um objetivo em comum. Alguns pássaros também costumam migrar em bandos, as vezes fazendo formações curiosas mas, de todo modo, predestinadamente indo onde todos os pássaros em sua situação costumam ir. Lemmings também se movem em conjunto, no entanto, muitas vezes, sem exatamente um objetivo, o que acaba por ocasionar sua morte.

jump

Como seres humanos, também nos agrupamos. Para nos mover na vida (e nisso insira o movimento que fazemos com nossas escolhas, com as tendências que seguimos, com os hábitos que cultivamos, etc.), podemos escolher simplesmente seguir a multidão. Talvez essa seja a escolha mais fácil. Deste modo, não corremos tantos riscos, afinal, todos estão dando seus passos pela mesma estrada. Se todos a percorrem, ela deve ser boa, não é mesmo? Não, não exatamente. As vezes o caminho que o “todo” escolhe seguir não é o caminho que seu coração deseja percorrer. Não digo que todo tipo de “agrupamento” seja ruim, claro que não. Até porque, nenhum homem é uma ilha e isso se prova com o simples fato de nossa interdependente existência neste planeta. Me refiro ao caso de alguns humanos simplesmente esquecerem de ouvir a pequena voz que grita desesperada dentro de si mesmos para seguir o comodismo da moda vigente. Pensamentos como: “se todos fazem, eu devo fazer também”“se fica bem neles, fica bem em mim também”, ou até,  “se é o melhor para eles, é o melhor para mim também.

Ignorar sua própria idiossincrasia pode ser um forte empurrão em direção à perda de personalidade e então, consequentemente, à indiferença e ao desrespeito às peculiaridades e diferenças do outro, o que nos levará, inevitavelmente, a cada vez mais guerras, opressão e, por contraditório que possa parecer, individualismo. Não o individualismo saudável de personalidades, mas sim o temível e nocivo individualismo de almas. Grupos se afastarão de outros grupos, diferentes do seu. Os caminhos se tornarão coisas impostas e não uma escolha espontânea. Eventualmente, a raça humana sucumbirá e a Terra será destruída.

Ora essa! Talvez seja hora de, quem ainda está em dúvida, respirar fundo e experimentar a sensação de percorrer seu próprio caminho, sem se esquecer, no entanto, que por mais diferentes que sejamos, todos ainda somos parte de um mesmo corpo. Afinal, pra que tanta pressa? O que todos estão querendo provar? No final das contas, na vida, não importa quão rápido você vai atingir o outro lado da montanha, mas sim o modo como você escolherá fazer a escalada.

Read Full Post »

Dando continuidade ao post Man or PACMAN (parte 2), eis que chegamos ao ponto mais importante de toda a questão: civilização Pacman.

A medida que crescem, precisam de espaço para se espalhar. As árvores atrapalham, então é necessário removê-las do caminho. O solo não é firme o suficiente para que possam construir suas casas, então o cobrem de concreto. As plantações não fornecem alimento o bastante, então caçam os animais da água e da terra. Os animais acabam, então caminham a procura de mais.

Países estão no caminho, então dominam estes países. Há territórios não reclamados, então reclamam estes territórios. Há povos que creem em outras coisas, então os fazem ter a mesma crença. Existem idéias diferentes, então fazem com que todos pensem da mesma forma. Se sobrevoam seus céus, então derrubam. Se bebem de sua água, então cobram.

Inspiram um ar puro e expiram fumaças negras. Mergulham num mar azul e vomitam um caldo cinzento. Cruzam florestas verdes e o rastro se faz do vazio. Encontram a sí mesmos… e devoram-se, como nenhum outro ser do universo conhecido. Este é o homem Pacman.

ciclo2

Gafanhotos são vistos como pragas. Nuvens que arrazam plantações e deixam milhões passando fome. Que gafanhotos malvados… Mas, ainda assim, eles comem apenas plantas. E o motivo pelo qual saem voando e engolindo tudo, se deve a disfunção ambiental gerada por nós mesmos. Será que eles são realmente tão maus assim?

Nenhum outro ser destrói o lugar em que vive. O lugar de onde tira seu sustento, seu alimento. Mas nós, Pacmen, sujamos a água de que precisamos beber. Devastamos as florestas que mantem nosso ar puro e nosso céu forte o bastante para deixar passar a quantidade certa de Sol. Alteramos o desenho natural da terra para satisfazer nossos comodismos, mudando a direção dos ventos, temperatura e clima. Comemos muito mais que toda a comida do mundo. Nós comemos O MUNDO!

Apesar de tudo, todo Pacman tem seu próprio fantasma. A voz da consciência perseguidora que insiste em não deixá-lo em paz. Não há desconhecedores da verdade aqui. Todos sabem muito bem dos males que causam. Mas o imediatismo, o capitalismo e o egoísmo nos fizeram fechar os olhos. Em nossa busca imprudente pelo hoje, ignoramos o amanhã. Contudo, os fantasmas são rápidos e letais. Quando finalmente nos alcançarem, pode ser muito tarde.

pacman

Esta é a hora de abrir os olhos. De perceber que fugir nunca foi necessário. Somos o Pacman, mas também somos o fantasma. Nosso pior inimigo somos nós mesmos. Somos nossa derrota e nossa vitória. Com o passar do tempo perdemos uma união importante:  a união com nosso íntimo. Se pararmos para ouvir o que os fantasmas tem a dizer, poderemos compreender o que perdemos há séculos. Então será possível viver livre de verdade. Consciência e ação trabalhando de forma harmônica. Não temos de ser uma civilização Pacman para sempre. Com tudo o que nós realmente somos, poderiamos criar o nosso próprio jogo. O que acham? 😀

Read Full Post »

Older Posts »